27 de nov de 2014 | By: Nayara Ferreira

A Primeira Vista

Passava um pouco das nove da noite, nos meus ouvidos a batida de Notinhg Else Matters do Metallica, o celular tocando que nem louco com as mensagens dos meus amigos perguntando se eu havia chegado bem, na garganta o choro e a saudade travados, querendo sair, mas só depois que eu estiver segura em casa, onde ninguém poderia ver minhas fraquezas.

Desastrada como sou, deixei a mochila cair dos meus braços enquanto abria a porta, o barulho me assustou, e você, quando abriu a sua porta e me ofereceu ajuda, me assustou mais ainda. Que tipo de pessoa não consegue nem abrir a porta do apartamento sem fazer barulho ou sem derrubar alguma coisa? Ah sim, claro, eu!!

Aceitei a ajuda, apesar da vergonha e de você estar sem camisa. Tentei repassar na minha mente todas as pessoas que ali moravam e não conseguia me lembrar de você, mas tudo bem, passei duas semanas fora, muita coisa pode ter mudado.

Você me perguntou se estava tudo bem, eu lembro que disse sim, mas não lembro o que te levou a falar seu nome, quem era, a quanto tempo tinha se mudado, o que fazia da vida e que adorava Metallica, lembro que sorri e que como sempre as palavras faltaram, mas tudo bem, você percebeu que eu era tímida, ou só não falava muito, mas perguntou mesmo assim meu nome, quem eu era, a quanto tempo estava aqui... Respostas rápidas e curtas foram as minhas, antes de você falar que eu parecia querer descansar, nem me conhecia e já enxergava o que eu queria ou sentia, talvez eu fosse transparente demais...
O som da sua risada me fez pensar que eu havia falado isso em voz alta, mas não, você riu porque era sempre assim, feliz, gostava de sorrir e de fazer os outros sorrirem, descobri isso mais tarde...

Nessa hora  te olhei e prestei atenção, mais velho que eu mas com os olhos de quem vive mais e é mais novo, barba por fazer, o que me bastava para um rosto perfeito, nem alto, nem baixo, evitei olhar o corpo e por sorte você me tirou desses pensamentos.

A voz grossa mas gentil fez meu coração acelerar e por um momento imaginei um futuro inteiro com você.. Nesse momento tive a certeza do que ouvi algumas vezes por ai: "o que tem que acontecer na nossa vida acontece, independente do lugar, da hora, da forma..."

Parada, te olhando, consegui dizer obrigada e você mais uma vez sorriu, disse "conta comigo para o que precisar" e saiu porta afora. O "conta comigo" ficou martelando na minha cabeça, para quem precisava de colo, aquilo parecia um convite, será que podia mesmo contar com você?

Mal sabia eu que sim, que em breve seu colo seria meu. Só meu.

Ou talvez eu sabia sim, de alguma forma eu sentia, sabia que aquele momento não tinha sido um simples acontecimento.

3 comentários:

Jessica O disse...

Só uma coisa para dizer: Que texto lindo, parabéns! Você escreve muito bem.
BC Orquídea Negra

Aline Gabriela disse...

Nossa, que lindo!
Adoro quando consigo imaginar a cena daquilo que estou lendo, e você fez eu me sentir assim!
Adoro escrever, mas também adoro ler textos assim!
Beeeeijo
BC BC http://pretobrilhante.blogspot.com.br/

Karollyna Alves disse...

Lindo! Eu quase me apaixonei pelo carinha da porta ao lado também! rsrsrs

Bzus,
BC
www.miniquiteria.com

Postar um comentário